Castly Talk: arte & ativismo indígena em tempos de corona com @luizmaudonnet



 

Como você enxerga a importância do seu trabalho em tempos de Corona?


Eu acho que arte se torna mais importante neste momento, pois ela nos faz questionar e refletir sobre o mundo em que estamos vivendo. Além disto, eu acredito que é importante a gente comunicar para o nosso publico que apesar da paralização de quase todos os mercados de trabalhos artísticos, diversas causas ainda estão precisando do nosso apoio e continua na sua própria luta, por exemplo, o caso dos indígenas no Pico do Jaraguá que estão em conflito com a construtora tenda.


Como você se reinventando como artista durante o Corona? Tenho revisitado trabalhos antigos que estavam parados ou encostados pela correria do dia a dia. Estou conseguindo olhar com mais calma para estes trabalhos. Buscando dar uma nova vida para eles.


Quais lições você acha que podemos tirar desse momento? Nossa saúde deve vir antes da economia.

Você está trabalhando em algum projeto atualmente? Qual e de que forma ele te inspirou?


Estou trabalhando em alguns projetos fotográficos autorais, mas tenho dedicado bastante tempo para um projeto coletivo chamado Revista Vaidape (@revistavaidape). Somos uma plataforma de conteúdo que cobre questões não abordadas pela grande mídia e estamos lançando um mini doc por mês. Nosso próximo trabalho será sobre a história da luta do povo Guarani contra a construtora tenda em um terreno no pico do Jaraguá, zona norte de SP.


Este projeto, da revista e dos Guaranis, é minha forma de ativismo. De contribuir com as causas que eu acredito. O meu trabalho autoral diversas vezes aborda o tema da sustentabilidade e da preservação ambiental. No caso dos Guaranis do Pico do Jaraguá, vemos um povo que tem suas bases culturais enraizadas no contato com a mata, lutando contra o sistema capitalista destrutiVo que quer construir prédios na ultima área de mata Atlântica de SP.

Como você acredita que os princípios e ensinamentos indígenas podem ser importantes para vivermos a partir de agora?

Nós estamos interligados com a natureza. Se a natureza morre, o homem morre. Não podemos continuar acreditando que o lucro e o “desenvolvimento” econômico está desvinculado da preservação da nossa fauna e flora nativa. Que progresso é este que estamos buscando?

Por fim, se você tivesse um super poder, além da sua manifestação artística que contribui diretamente em um ativismo indígena, qual seria e por que?


Teletransporte. Não ter a barreira do tempo e espaço para estar onde eu quisesse. Poder contar historias de diverso lugares do mundo.


 

ENTENDA O CASO


Em meio a pandemia do #CoronaVirus a Construtora Tenda agiu de forma ilegal e sorrateira na tarde desta quinta-feira (26). A@revistavaidape foi alertada pelas lideranças da terra indígena Jaraguá e convocada a documentar o ocorrido. Reafirmamos o estado de alerta de todos os indígenas da aldeia desde a madrugada de quarta-feira (25) quando policiais militares entraram na madrugada a procura de Thiago - que se apresenta neste vídeo -, sem explicação a comunidade.


Todo apoio ao @lutaparquejaragua

Direção de fotografia:@luizmaudonnet

Drone:@filmesujo

Montagem e Finalização:@filmesujo


GALERIA DE FOTOS DA OCUPAÇÃO NO PICO DO JARAGUÁ POR LUIZ MAUDONNET





 



0 comentário